Reintegração à FAB

Reintegração à FAB
Direito Internacional

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

APRAFA-DF, denuncia o Brasil, na CIDH-OEA

APRAFA-DF denunciou o Estado brasileiro junto aCOMISSÃO INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS - CIDH-OEA, no caso: CESD onde de forma arbitrária a Aeronáutca licenciou aproximadamente 15.000 militares concursados, uma violação ao direito adquirido, outro caso que também foi denunciado A CIDH foi os INCAPAZES DAS FORÇAS ARMADAS mais um vexame e vergonha aos brasileiros provocado pelas FFAA, fatos lamentáveis, que agora se encontra lá fora, vamos aguardar o andamento desse processo e que haja justiça. 

http://www.soldadojo.com/index.php/88-workplaces/121-been-in-a-co-working-place

Um comentário:

R1 ate a morte disse...

1 Deve o comando assinar tratativa hoje reajustando a gratificação militar e não auxilio moradia, senão amanha como general reservista vai chorar sua defasagem salarial. Militar é militar ate o óbito. Um recurso para nação. 2 É necessário e urgentíssimo, os ministros da Defesa, Previdência assessorarem o presidente Temer, fazendo oque não foi feito ainda, discutirem e deixarem escrito em qualquer nova ideia, com os comandantes das FFAA, quanto cada inativo ou pensionista tem direito de receber pelas horas extra e adicional noturno que deixaram de receber por décadas para o nosso pais economizar Bilhões anuais, no sistema especifico dos militares. caso fosse possível separar ativa de reserva. Exemplo, literalmente "hoje a noite" O militar que trabalhou na noite e madrugada é o mesmo que vai dar instrução ao recruta o dia inteiro. Senão a união tem enriquecimento ilícito. Ganhou, segurando os militares por 30 anos, prometendo na legislação beneficio de paridade salarial com a ativa, pelo esforço não remunerado e no final da carreira, a união imagina ganhar novamente mexendo no direito adquirido, literalmente suado, efetivamente trabalhado, abdicando da família, nas noites cuidando as armas da nossa nação, aquartelados ou embarcados em navio.